Dicas de Saúde

Existe diferença entre infarto e ataque cardíaco? - Dica de Saúde

"Fulano morreu de ataque cardíaco." Você já deve ter ouvido essa triste frase ao menos uma vez, afinal, problemas cardiovasculares são a principal causa de óbito no mundo, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). E também é bem provável que, ao receber a notícia, você logo associou que o fulano teve um infarto, não? Mas sabia que nem sempre ataque cardíaco quer dizer infarto?

"Em inglês, usa-se a expressão heart attack (ataque cardíaco) para denominar todos os problemas fatais ou quase fatais do coração. Por conta de uma tradução equivocada, muitos passaram a usar a expressão como sinônimo de infarto, mas ataque cardíaco pode significar outros problemas", explica o médico Bruno Valdigem, cardiologista doutor pela Universidade Federal de São Paulo. Além de infarto, o termo ataque cardíaco pode ser usado para se referir a problemas como parada cardíaca e morte súbita.

O que é um infarto? Como falamos, o infarto pode ser entendido como um tipo de ataque cardíaco. O problema acontece quando há uma interrupção do sangue oxigenado ao coração, o que gera uma lesão muscular no órgão. "A obstrução da artéria coronária geralmente ocorre por placas de gordura e, mesmo que seja de 40% ou 50%, pode causar uma interrupção abrupta do fluxo sanguíneso, levando o paciente à morte", afirma o cardiologista Paulo Chaccur.

Os sintomas incluem dor ou sensação de aperto no peito, nas costas, no pescoço ou nos braços, assim como tontura, fadiga, arritmia e ansiedade. E nem mesmo o infarto é apenas uma coisa: existem diferentes classificações (de acordo com o tipo de bloqueio --parcial ou total -- da artéria) e tipos, identificados pela causa da isquemia (falta de fornecimento sanguíneo).

E a parada cardíaca, o que é?
Outro problema que pode ser agrupado no termo ataque cardíaco, a parada cardíaca ocorre quando o fluxo de sangue que o coração gera é incapaz de manter oxigenação mínima do corpo. "Geralmente é causada por arritmia, que por sua vez é iniciada por um infarto", informa Valdigem. Entre os sintomas estão a falta de ar, desmaio e dores no peito.

E morte súbita? O cardiologista Pedro Gregorio Mekhitarian, médico da Rede de Hospitais São Camilo de São Paulo, explica que a morte súbita é uma manifestação de dor aguda e abrupta, sem a presença de sintomas prévios. Ela pode estar relacionada, por exemplo, à doença coronária --que ocorre quando há um estreitamento dos vasos que levam sangue ao coração -- e cardiomipatia hipertrófica --quando os músculos cardíacos se tornam espessos e maiores do que o normal, dificultando o bombeamento do sangue.

"Se o paciente chega ao pronto-socorro em tempo hábil, inicia-se o atendimento seguindo o protocolo de SAVC (suporte avançado de vida em cardiologia), e pode-se evitar a morte. Isso é a ressuscitação do paciente, após o procedimento, ele é encaminhado para o centro de hemodinâmica, quando houver, e internado em UTI", explica.

Procure sempre orientação médica.

primeira página 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40 41 42 última página

CSPM 2020. Todos os direitos reservados | Produzido por: Agência CS Digital